Quem veio primeiro?

Uma das coisas que mais me interessa em educação atualmente, e especificamente no que tange à educação em biologia evolutiva, é tentar diminuir ou mesmo evitar os efeitos nefastos da concepção de scala naturae em nossa cultura e em nossa forma de pensar. Vocês vão me ver constantemente tratando desse tema aqui, a infame scala, “the great chain of being”…

Estava eu nessa semana a dar uma aula “tranquila”, digamos assim, sobre cordados. Usava uma apresentação do powerpoint que já é até bem velhinha, na qual vou adicionando uns slides novos aqui e ali. Ao falar do surgimento evolutivo dos primeiros tetrápodos, passei para um slide que, ano após ano, sempre me incomodou. E eu, sempre indolente, ano após ano esqueço-me de trocá-lo. O slide é esse:

 

Os primeiros tetrápodos como "anfíbios"

Os primeiros tetrápodos como "anfíbios"

 

Trata-se de uma imagem retirada do livro de biologia geral do Peter Raven (“Biology”, P. Raven e G. Johnson, 6a ed., Mcgraw-Hill). Diga-se de passagem, o Raven é um excelente autor, e não se trata aqui de criticar especificamente o livro dele: isso acontece com praticamente todos os livros…

O que a imagem nos mostra é que os primeiros tetrápodos a deixarem suas pegadas sobre a terra seca eram anfíbios (no texto esse animal está representado na letra b, “early amphibian”, anfíbio ancestral ou anfíbio primitivo). Somos acostumados a esse tipo de descrição, que de fato permeia praticamente todas as áreas da zoologia e da botânica: os primeiros animais a terem tecido nervoso foram os cnidários, as primeiras plantas a terem sementes foram as gimnospermas, os primeiros animais bilaterais foram os platelmintos, os primeiros amniotas foram os répteis (perceba que nesses exemplos há tanto grupos monofiléticos como grupos merofiléticos, o que faz a confusão aumentar mais ainda…). Consequência: é normal pensarmos que os peixes originaram os anfíbios, que os anfíbios originaram os répteis, que os répteis originaram os mamíferos etc. Temos, portanto, uma sequencia assim sumariada: peixes → anfíbios → répteis → mamíferos. A scala naturae, sem contestação alguma, em pleno século XXI.

Mas vejamos: o que se quer dizer quando se define que os primeiros tetrápodos eram anfíbios? E quando se define que os répteis “vieram” dos anfíbios? Na prática, os répteis atualmente existentes não descendem dos anfíbios atualmente existentes, bem como (e isso é o que eu mais gosto de falar) os anfíbios atualmente existentes não descendem dos répteis atualmente existentes. Usando o mesmo raciocínio, podemos dizer que o homem não descende do chimpanzé, e que muito menos o chimpanzé descende do homem. O que esses dois grupos compartilham é simplesmente um ancestral comum.

Dizer que esse tetrápodo ancestral seria hoje em dia classificado como anfíbio também não é algo que ajude. Em relação a certos caracteres (estruturas), seu descendente “réptil” pode ser bem mais assemelhado a ele que seu descendente “anfíbio”, pois apomorfias ocorreram tanto no ramo que leva aos répteis atuais como no ramo que leva aos anfíbios atuais (uma vez que não se espera que os anfíbios atuais sejam morfológica e fisiológicamente iguais a esses early amphibians). E não seremos nós, seres humanos, que introduziremos juizos de valor em relação a tal ou tal característica, definindo arbitrariamente que uma é mais importante que outra: seria algo como dizer “esse tetrápodo ancestral era anamniota, assim como os anfíbios, ao passo que os répteis são amniotas”…

Mais simples, portanto, é dizer que o animal representado no slide seria o ancestral dos tetrápodos atualmente existentes; ou seja, era componente do grupo a partir do qual surgiram tanto os répteis quanto os anfíbios, ambos com características novas, não existentes no animal representado.

Contudo, é muito difícil nos livrarmos de uma estrutura iconográfica que permeia o intelecto humano há mais de vinte e cinco séculos. ainda assim, é preciso tentar…

9 comentários sobre “Quem veio primeiro?

  1. Gerardo,

    Muito bons os teus textos, e só pelo pedaço do livro que eu li no primeiro post, já fiquei curioso para o ler.

    Deixo aqui uma sugestão. Porque você não escreve os posts em Inglês e em Português, para, assim, atingir um público maior.

    Abraço

    • júlio,
      gostei da sugestão; tenho só que aprender a mexer no wordpress, estou apanhando um pouco aqui, mas vou tentar criar os links pra páginas em inglês…
      abraço

  2. Olá !!

    Entendo o seu raciocinio em relação a evolução dos tetrápodos, mas fiquei um pouco perdido quando vc diz q foi um tetrápodo primitivo q gerou descendentes anfíbios e répteis, sendo esse ser primitivo diferente de seus decendentes. Qual seria a classe desse tetrápodo primitivo ?

    • a questão é ter que enquadrar o ancestral dos tetrápodos numa classe atual, o que não faz sentido. sei que é coisa de ficar meio perdido mesmo, mas segundo a sistemática filogenética, se você defini-lo como anfíbio, todos os tetrápodos têm de ser anfíbios também, inclusive nós. e, voltando no tempo, se ele originou-se de um osteíctio, nós seremos osteíctios também, etc…

  3. Gerardo.

    Sou professor do ensino médio e pré vestibular, inclusive tenho um até, renomado pré vestibular, em Imperatriz – Maranhão, a alguns dias venho acompanhando seu blog e lendo bastante o que você escreve, confesso que gostei pois me viro nos 30 aqui pra tentar ensinar sistemática filogenética, numa região que, se ensinar ai ja é complicado imagina aqui onde na cabeça da galera scala naturae ta tão viva quanto a Dilma. (infelizmente); sem falar nos vestibulares ainda bem tradicionais como a UEMA que ainda cobra em suas provas questões com conceitos do tipo; vertebrados; invertebrados; peixes; anfibios; répteis; aves e mamiferos, como se fosse um processo de origem evolutiva mesmo. Queria que me dissesse se assim soubesse ou recomendasse um livro bom, para professores e alunos de ensino médio que tratasse do tema sistemática cladística, explicando a real diferença e mudanças, que possa libertar mesmo desses conceitos atrasados. Aguardo sua resposta. Continuarei lendo pois gostei demais dos seus textos. Professor. Charles Reis.

  4. Acho que sua concepção da Evolução em si está meio confusa.
    A Evolução por seleção natural de Darwin não diz que os animais simplesmente surgiram uns dos outros, não é assim tão simples, ou melhor, é simples, mas é um concento que inclui outros conceitos: A competição pela vida, a seleção natural, as condições do ambiente na natureza, mutações genicas, DNA.
    O que a teoria diz, é basicamente isso: A vida é dividida como uma árvore. Com espécies evoluindo GRADUALMENTE para outras durante MILHÕES DE ANOS. Produzindo novos ramos e galhos.
    Até aqui é o que você falou… Mas como é que essa mudança ocorre, e por que não vemos ela ocorrendo nos animais atuais?
    Essas mudanças ocorrem LENTAMENTE, durante muito tempo por conta das condições em que uma certa população vive, e mudanças… alterações genéticas.
    Tomando um exemplo do próprio Darwin que encontrou tentilhões em suas viagens, com características claramente diferentes, bicos de tamanhos diferentes e outras coisas : Na natureza, os organismos competem por recursos como alimento e se por mutações genicas um dos tentilhões nasce com o bico um pouco maior, ele terá mais facilidade de quebrar sementes maiores do que as que os outros tentilhões competem, dando a ele uma vantagem. Ao passar essa característica aos seus descendentes, mais e mais tentilhões terão essa vantagem, dando origem a uma nova espécie.
    Mas você consegue ver como é um processo demorado?
    E isso explica a cor das mariposas, a especiação, a camuflagem de insetos, que se parecem como folhas e etc.
    Existe o inverso também, se uma zebra nasce com algum problema de visão, por exemplo, essa característica será negativamente selecionada, essa zebra não sobreviverá, será caçada mais facilmente e não poderá passar essa característica para descendentes, fazendo com que a população de zebra continue com a visão boa e sobrevivendo na competição pela vida.
    Você está precisando melhor. Esse documentário aqui é simplesmente perfeito para entender melhor o assunto: https://www.youtube.com/watch?time_continue=944&v=p_YZpa5M-DY

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s