Incrível foto de dinossauros reais vivos!

O título deste post está correto, e não se trata de nenhuma armação. Eu irei de fato mostrar fotos de dinossauros reais vivos. Você, contudo, já supõe que irá se decepcionar, e isso é inevitável: as espécies de dinossauros que você esperava ver devem estar todas extintas há mais de 63 milhões de anos. As espécies que eu mostrarei costumam ser bem menores e, pelo fato de uma de suas características ser a capacidade de voar (mesmo aquelas que não voam descendem de ancestrais voadores), elas são muito mais leves e menos corpulentas. Bem, vamos à foto:

Dinossauros que aparecem diariamente em meu jardim.

Certo, essa foto não tem nada de “incrível”, é só uma foto que tirei em um dia quente da panela com água que ponho para os passarinhos. Então, onde está a incrível foto de um dinossauro real vivo? Está no banner deste blog, lá em cima, desde que ele começou a ser feito. Um beija-flor, por um fotógrafo profissional. Curioso perceber que “um beija-flor é o símbolo do meu blog” e “um dinossauro é o símbolo do meu blog” são ambas exclamações corretas. Sim, beija-flores são aves. E são dinossauros. A maioria das pessoas que estuda biologia sabe disso mas, curiosamente, é um conceito que nós mesmos não costumamos utilizar.

A questão toda é relativamente simples, e eu já a abordei numa postagem onde explico que, do ponto de vista da sistemática filogenética, não há erro algum em dizer que somos todos peixes. O problema todo, aqui, vem do fato de que somos capazes de compreender adequadamente as regras da sistemática filogenética, somos capazes de interpretar adequadamente as informações que um cladograma nos fornece e, felizmente ao meu ver, cada vez mais estudantes do ensino médio (ou mesmo do fundamental!) são apresentados aos cladogramas e ao inestimável serviço que eles fazem para mudar a concepção ultrapassada de evolução, nomeadamente a scala naturae, que ainda persiste.

Acontece que, em situações bem específicas (creio poder me aprofundar na questão de por que certas situações estão mais propensas a essas interpretações erradas, mas irei deixar isso para outro momento), aparentemente não conseguimos aplicar os conceitos básicos da sistemática filogenética. Vamos começar pelo cladograma abaixo:

Cladograma 1

Num cladograma, os nós determinam os grupos monofiléticos que podemos formar. Além disso, as apomorfias presentes em cada nó (ou, para ser mais correto, entre um nó e outro, ou seja, num ramo) são excelentes para denominarmos o grupo monofilético em questão. No cladograma acima, por exemplo, todos os organismos que estão acima de “tetrapoda” têm quatro patas (os que não tem perderam-nas secundariamente…). Logo, chamamos de tetrápodos todos os organismos desse nó em diante, o que constitui um grupo monofilético. Do mesmo modo, todos os organismos que estão acima de “amniota” têm âmnion, e o grupo monofilético é chamado de amniota, ou em português, os amniotas…  E assim por diante.

Agora, observe o dendrograma (que não é tecnicamente um cladograma) abaixo:

Filogenia dos dinossauros

Procure pelas aves. Elas estão lá, representadas por uma águia (“tawny eagle”), bem em meio aos demais dinossauros. Esse dendrograma possui uma raiz, a esquerda. Daquele nó em diante, todos os organismos são dinossauros. A coisa fica mais clara nesse cladograma, bem mais técnico:

Cladograma 2

Perceba que de “archosaurs” para cima, todos os organismos são “arcossauros”. Do mesmo modo, de “dinosaurs” para cima, todos os organismos são “dinossauros”. Dinosauria é um grupo monofilético, e inclui esses bichos com penas que chamamos aves. Se excluirmos as aves de Dinosauria, o grupo fica merofilético (parafilético), do mesmo modo que Reptilia, Pisces, Invertebrata… O texto do site onde retirei essa imagem (da Universidade de Berkeley), por sinal, é bem interessante:

Archosaurs are a group of specialized reptiles which ruled the Earth during the Age of Dinosaurs. The only archosaurs that survive today are crocodiles and birds. Birds are the only group of dinosaurs that survived the extinction at the end of the Cretaceous period, 65 million years ago. Your holiday turkey is a saurischian dinosaur, like Apatosaurus, Tyrannosaurus, and Velociraptor.

Não há dificuldade alguma em dizer que as aves são dinossauros. Aliás, dada sua diversidade, seria de se espantar que nenhum grupo de dinossauros tivesse sobrevivido à crise cretáceo-terciário. As aves são dinossauros, e devemos tornar vulgar (comum) esse conceito, para que possamos compreender mais adequadamente as filogenias, não só na faculdade, mas também no ensino médio. Estou lendo o excelente “The ancestor’s tale”, de Dawkins (o título em português é tão ridículo e tão claramente uma jogada de marketing que me recuso a usá-lo), muito criativo e interessante, uma ótima leitura; porém, lá pelas tantas, ele vem com um infeliz “[...] que floresceram no paleoceno, logo após a extinção dos dinossauros.”… Mmmm, bola fora.

About these ads

10 comentários sobre “Incrível foto de dinossauros reais vivos!

  1. E bom,mas ainda não temos evidencias suficientes para provar que dinossauros ainda vivem emtre nós.
    Mais quem sabe algum dia os cientistas possam tirar uma foto provando que dinossauros ainda vivem na terra.
    É possivel que o galo pode ter algumas caracteristicas de um dinossuro,e muito simples perceber isso,basta olhar para uma pegada de um dinossauro e olhar para o pé de um galo,você ira percaber que são muito semelhantes,mais ainda a ciencia não comprovou essas caracteristicas semelhantes.
    Até esse dia chegar vamos procurar mais evidencias para ver se eles ainda estajam aqui na terra esperando por algo!!!!

  2. Gerardo, parabéns pelo blog. Seus textos apresentam uma linguagem que permite uma boa compreensão não só pelos alunos graduados como também por alunos do Ensino Médio ao passo que traz informações e conceitos que não são comumente expostos em sala de aula.

  3. A verdade é que numa sociedade de consumo a forma ainda ganha como conceito, e sendo assim uma ave não poderia ser um dinossauro, e acho que um esteta teria dificuldade em ser um biólogo. (risos) E mesmo que muita coisa em biologia tenha como referência a textura, forma e cor, ainda assim , não é o todo sentido e por isso, em meus exercícios teatrais sempre sugiro outros sentidos que não os já estabelecidos, mas é claro, eu aviso, este conceito não garante seus empregos e muito menos vendem livros, mas, mais uma vez, garantem algum ensino. (risos)

  4. Ótimo texto, uma abordagem simples e bem explicativa. Pra ser mais “bombástico”, aves são répteis. Só corrigiria a frase “Dinosauria é um grupo monofilético, e inclui esses bichos com penas que chamamos aves”, pois muitos theropoda já possuiam penas. A pena é uma característica que apareceu antes dos Theropoda avianos, possivelmente para algum mecanismo de regulação térmica. Devido a isso não serve como um caractere de diagnóstico de aves.
    Valeu Gerado, forte abraço

    • Oi Heideger, obrigado pelo comentário
      Quanto à frase que você citou, não quis afirmar que somente as aves têm penas, apenas disse que “os bichos com penas que chamamos aves” (podendo haver outros bichos com penas) estão dentro de um grupo monofilético chamado Dinosauria.
      Não há consenso se as penas surgiram para a termorregulação. É possível que elas tenham surgido anteriormente, com outra finalidade, como a sinalização, e terem sido em seguida exaptadas para a termorregulação, para serem em seguida exaptadas para o voo, e em seguida exaptadas novamente para sinalização…
      Abraço.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s